top of page
Buscar

Bolsonaristas vão às ruas contra a eleição de Lula

Em Jundiaí, as principais avenidas foram bloqueadas pelos manifestantes, dificultando o acesso dos estudantes às universidades

Por: Caroline Camargo - 31 de outubro de 2022 às 20h41 Atualização: 01 de novembro de 2022 às 12h07



Manifestantes bolsonaristas travam rodovia Anhanguera (Imagem: Reprodução TVTEM)

Em menos de 24 horas após as eleições presidenciais, que elegeram Luiz Inácio Lula da Silva (PT), apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) vão às ruas em todo país contra o resultado das urnas.

Na região metropolitana de Jundiaí, estudantes e trabalhadores estão sendo impossibilitados de chegar a seus destinos por conta da paralisação das principais vias dos municípios. Em nota, a Faculdade Padre Anchieta informou que as aulas desta segunda-feira (31) serão ministradas de forma remota.


Comunicado oficial emitido pelo Centro Universitário Padre Anchieta aos alunos (Imagem: reprodução Anchieta)

“É uma falta de respeito com todo mundo, não tem porque protestarem, já acabou as eleições. Por conta deles minhas aulas presenciais estão canceladas, professores da faculdade Anchieta, a maioria, se encontra preso no trânsito porque travaram a rodovia”, conta um dos estudantes, que preferiu não se identificar. “No meio do caminho para a faculdade fui notificado que as aulas seriam remotas pois alunos e professores não conseguiram passar pela Anhanguera”


A universidade Paulista (Unip), informou que as aulas serão mantidas presencialmente, mas que os alunos que não conseguirem chegar até a faculdade, por conta das paralisações, não serão prejudicados. Já na Unifaccamp, em Campo Limpo Paulista, algumas aulas serão ministradas de forma remota. Os alunos que se enquadram neste formado serão informados pela instituição através de seus e-mails, para os demais as aulas seguem presencialmente.


“Não pude ir para a faculdade, por conta dessas manifestações bloqueando as rodovias, que sinceramente acho uma palhaçada, porque tem gente que trabalha para poder pagar a faculdade, para gente sem noção fazer isso e ter que cancelar as aulas”, desabafa a estudante de enfermagem, Geovanna Cardoso Magaton Bento (18).

Além de Geovanna, diversos alunos foram impossibilitados de chegar até as universidades, como é o caso da estudante de fisioterapia Anna Carolina Fialho (18). “Foi bem complicado, tínhamos trabalho para apresentar hoje e a professora teve que reagendar”.

As manifestações, que vêm ocorrendo em todo o país, começaram logo após as apurações das urnas na noite deste domingo (30). Poucas horas depois, “convites” para a paralisação começaram a circular. Em vídeos divulgados nas redes sociais, manifestantes aparecem queimando pneus enquanto protestam contra o resultado das eleições.


"Não pude ir para a faculdade, por conta dessas manifestações bloqueando as rodovias, que sinceramente acho uma palhaçada"

“Ninguém consegue passar, não estão abrindo espaço para ninguém, tinha uma moça grávida, mas também não conseguiu passar”, conta a Analista Jéssica Camargo (26), que após duas horas parada no trânsito da Avenida Anhanguera decidiu ir andando para casa. “Os carros estão todos desligados, ônibus e caminhão desligado, todo mundo na rua ninguém consegue sair do lugar”, completa.

Até o momento, não houve respostas da polícia rodoviária ou da Autoban, quanto a interdição das vias. Em vídeos, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) aparecem demonstrando apoio aos manifestantes.

Já circula nas redes sociais um cronograma que aponta o bloqueio das principais rodovias da grande São Paulo, a partir da meia noite do dia 1 de novembro. Entre elas estão as rodovias dos Bandeirantes, Anhanguera, Castelo Branco, Raposo Tavares, Régis Bittencourt, Anchieta, Imigrantes, Dutra e Rodoanel. Preocupados com as consequências dessas manifestações, motoristas já fazem filas nos postos de gasolina da região.


Segundo ultimas informações, os manifestantes não param de chegar nas concentrações bolsonaristas. Imagens que circulam no WhatsApp mostram eleitores do Bolsonaro com barracas e mantimentos para passarem a madrugada mantendo o bloqueio às rodovias.



Manifestantes recebem mantimentos em Araçariguama (Reprodução WhatsApp)

98 visualizações

Commentaires


O Jornaleiro_logo branco.png
bottom of page