• Yandra Restivo Olhier

INSTITUTO ONÇA-PINTADA.

Conheça e tire suas dúvidas sobre o IOP.


O instituto onça-pintada (IOP) é a única ONG dedicada exclusivamente a promover a conservação dessa espécie, através de pesquisa científica nos biomas onde ela ocorre (Amazônia, Cerrado, Caatinga, Pantanal e Mata Atlântica), e em cativeiro, por meio de seu Criadouro Científico com finalidade de Conservação.

A sua missão é exclusivamente ligada a conservação da Onça-Pintada, suas espécies de presas naturais e de seus habitats, ao longo de sua área de distribuição, assim como a sua coexistência pacífica com o homem, através de pesquisa e estratégias de conservação.

O IOP acredita que o ser humano tende a proteger e a preservar o que gosta, se importa ou admira. Mas para que isso seja possível é preciso que inicialmente se conheça! O conhecimento nos leva a conscientização e a necessidade de mudança de atitudes.

O instituto foi fundado em junho de 2002, pelos biólogos Leandro Silveira e Anah Tereza de Almeida já como pesquisadores que dedicaram suas vidas profissionais a conservação da onça-pintada.




(FOTO DOS CRIADORES DO INSTITUTO!)


Sua missão:

O IOP é uma organização não governamental brasileira, cuja missão é preservar o maior felino do continente americano. Por tanto executa e apoia pesquisas com a onça-pintada ao longo de sua área de distribuição. Seu objetivo é de facilitar a interação entre apoiadores estrangeiros nas atividades do IOP no Brasil, foi fundado em 2004, nos Estados Unidos, o Jaguar Conservation Fund, uma instituição sem fins lucrativos com registro 501©3. Em 2007, o IOP recebeu o título de OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), pelo Ministério da Justiça.


Equipe do IOP:

Leandro Silveira: Biólogo, Cofundador e Presidente do Instituto Onça-Pintada. Realizou seu mestrado em Biologia, pela Universidade Federal de Goiás com a Ecologia da comunidade de carnívoros do Parque Nacional das Emas e fez o Doutorado em Biologia Animal pela Universidade de Brasília, desenvolvendo a pesquisa: Ecologia comparada de onça-pintada e onça-parda no cerrado do Brasil central. Atua a frente do Instituto Onça-Pintada desde a sua fundação, em 2002, coordenando pesquisa científica nos cinco biomas Brasileiros.

Anah Tereza de Almeida Jácomo: Bióloga, Cofundadora e Diretora Executiva do Instituto Onça-Pintada (IOP). Realizou seu mestrado em Biologia, pela Universidade Federal de Goiás com o Nicho alimentar do lobo-guará, no Parque Nacional das Emas, fez o Doutorado em Biologia Animal pela Universidade de Brasília, desenvolvendo pesquisa com ecologia, manejo e conservação do queixada (uma espécie do porco do mato) no Parque Nacional das Emas e nas propriedades rurais de seu entorno, e atua profissionalmente nas áreas de manejo e conservação da onça-pintada e suas principais bases de presas naturais. Entre outras frentes de atuação do IOP, coordena o Certificado Onça-Pintada, criado como uma importante ferramenta de conservação para a espécie, no Brasil.

Felippe Azzolini: Médico Veterinário graduado pela Universidade Paranaense - UNIPAR (2007), Pós-graduado em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Assis Gurgacz - FAG (2010), Mestre em Ciência Animal pela Universidade Paranaense – UNIPAR (2012). Desenvolve pesquisas, especialmente nas áreas de clínica médica de animais selvagens, anestesiologia e odontologia. É Diretor Técnico da Anestezoo - assessoria e consultoria em medicina de animais selvagens, odontologia e anestesiologia, membro do corpo clínico do Instituto Brasileiro de Especialidades em Medicina Veterinária – ESPECIALVET e Docente do programa de Pós-graduação em Clínica e Cirurgia de Animais de Companhia, da Universidade Paranaense (UNIPAR). Foi Responsável Técnico e Diretor do Zoológico UNISEP de 2013 à 2020, e professor de Anestesiologia e de Medicina de Animais Selvagens entre 2010 e 2020. Foi membro da Comissão de Animais Selvagens do CRMV-PR entre dezembro de 2015 a outubro de 2017. Integra a equipe de veterinários do Instituto Onça-Pintada coordenando a área de Anestesiologia de animais silvestres.

Dr. Gediendson Ribeiro de Araújo: Médico veterinário graduado pela Universidade Federal de Viçosa. Realizou mestrado e doutorado na UFV com reprodução de onças-pintadas de cativeiro e de vida livre. Concluiu seu Pós-doutorado com produção de embriões de onças pardas na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. É pesquisador e presidente do Instituto Reprocon (Reprodução para a Conservação) que desenvolve pesquisa de reprodução assistida aplicada a conservação de animais selvagens. Atualmente, é responsável pelo setor de Reprodução Assistida de Animais de Laboratório da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Integra a equipe de veterinários do Instituto Onça-Pintada, coordenando a área de Medicina Reprodutiva.

Lana Jessica Silveira Louza: Coordenadora dos voluntários e estagiários do Criadouro Científico do Instituto Onça-Pintada.

Tiago Jácomo Silveira: Estudante e responsável pela mídia e redes sociais do instituto onça-pintada.

CURIOSIDADES:

Em 2016 o Instituto Onça-Pintada criou o Certificado Onça-Pintada, direcionado a produtores rurais, empreendimentos ou prestadores de serviço que estão estabelecidos em áreas de ocorrência da onça-pintada e que por meio de práticas sustentáveis promovam a conservação da espécie e da biodiversidade a ela associada.

Os alimentos dos animais são comprados por doação de dinheiro que a instituição recebe por empresas apoiadoras e fazendeiros da região que doam animais que morrem de causa natural e até mesmo matadouros que acabam doando os fetos das vacas q são abatidas ainda prenha.

Imagens retiradas da internet.


Posts Em Destaque
Posts Recentes