Buscar
  • Gustavo Henrique S. Silva

Os riscos na facilidade da automedicação

Quem se automedica pode mascarar algum problema mais grave que necessitaria de um tratamento médico mais adequado.


Por: Gustavo Henrique - 14 de maio de 2022, às 18h19


A automedicação está cada vez mais comum e causando mais riscos para quem adere a essa prática. Segundo o CRF (Conselho Federal de Farmácia), 77% dos brasileiros tem o hábito de se automedicar, seja por causa de antigas prescrições, seja por feeling, a automedicação pode acabar gerando sérios problemas a saúde.


Um medicamento usado sem prescrição pode acabar acarretando em problemas mais graves do que necessariamente o problema que a pessoa estava buscando resolver. Nas farmácias convencionais, os únicos medicamentos que exigem a retenção da receita são os controlados (antibióticos e psicotrópicos), conforme é exigido pela vigilância sanitária. Esses medicamentos têm um alto risco de causar

dependência. Isso não significa que os medicamentos de distribuição comum não tenha esse risco, já que todo medicamento tem um grau para causar dependência, é o que afirma os especialistas.

77% dos brasileiros tem o hábito de se automedicar.

A falta de acompanhamento especializado para o uso de remédios evita, por exemplo, problemas devido a reações alérgicas que o usuário pode enfrentar com determinado tipo de medicamento. Há casos em que a alergia pode resultar em óbito.


Outra preocupação dos especialistas é a de que a automedicação pode mascarar algum problema mais grave

que necessitaria de um tratamento médico mais adequado. Funciona assim: quando a pessoa se automedica, ela alivia, momentaneamente a dor e, com esse alívio, não acha necessária a busca por um tratamento mais adequado.


O CRF e a vigilância sanitária, buscam realizar campanhas de conscientização e medidas mais rígidas de controle e venda de medicamentos para usuários. As autoridades esperam que essas ações ajudem na diminuição dos casos de automedicação no país.

A automedicação esconde perigos sérios à saúde (Imagem: Farmacologica)

6 visualizações